http://emergenciasquimicas.cetesb.sp.gov.br

Sinalização

  • Bastão sinalizador

    Descrição e Uso
    Equipamento de segurança e sinalização. Bastão com sinalizador luminoso na cor vermelha, normalmente do tipo LED. Os melhores são confeccionados em policarbonato de alto impacto, são leves, ergonômicos e resistentes a água. Alguns modelos possuem lanternas e sinalizadores sonoros acoplados. Podem ser alimentados com pilhas ou baterias carregáveis.
    São muito utilizados em acidentes em rodovias e em locais com trafego urbano para sinalizar acidentes e desvio de transito. Podem ter outras utilidades como comunicação entre técnicos na emergência de acordo com códigos visuais a distância.

  • Binóculo

    Descrição e Uso
    Binóculo de médio a longo alcance com lentes de boa qualidade (antidistorsivas). Ideal que sejam leves e com componentes metálicos resistentes a chuva e umidade.Importante equipamento quando é necessária avaliação de cenários acidentais a distância antes da aproximação, especialmente quando estão envolvidos produtos de elevada periculosidade como gases tóxicos ou inflamáveis. Pode ser utilizado no monitoramento das equipes na zona quente pelo pessoal de apoio na zona morna ou fria.

  • Colete / Faixa reflexiva

    Descrição e Uso
    Em forma de colete ou em fita (X ou II), possui fitas reflexivas de material fluorescente. Este pode ser de diversas cores, como branca, cinza, amarela, laranja ou limão. Devem ser eficientes e de longo alcance de visibilidade (até cerca de 200 metros). Os parâmetros importantes para a qualidade das faixas são a luminosidade e o brilho. As faixas devem ser flexíveis, leves e resistentes a água (não devem perder reflexividade quando molhados).As faixas ou coletes refletivos são fundamentais em acidentes emergenciais que ocorrem à noite e em regiões de trânsito de veículos como ruas e rodovias. Assim como os bombeiros e policiais rodoviários, os técnicos em atendimento emergencial nestas situações devem sempre utilizar os coletes refletivos.

  • Cone de sinalização

    Descrição e Uso
    Cones plásticos ou de borracha normalmente com 50 cm de altura. Podem vir com as cores laranja e branco; preto e amarelo, ou preto e vermelho. Alguns possuem tarjas refletivas para uso noturno. Podem ser acoplados com sinalizadores luminosos/piscantes para uma melhor indicação noturna.Isolamento e/ou sinalização de áreas perigosas ou sob risco. São freqüentemente utilizados conjuntamente com as fitas zebrada e ” afaste-se”. Em trabalhos de investigação e monitoramento de galerias subterrâneas da cidade são muito utilizados pelas equipes de emergência.
    Obs.: No que diz respeito à sinalização viária, os cones a serem utilizados devem atender aos padrões da ABNT NBR 17051 SEGURANÇA NO TRÁFEGO – CONES PARA SINALIZAÇÃO VIÁRIA.

  • Fita zebrada

    Descrição e Uso
    Fita de polietileno de baixa densidade, zebrada diagonalmente. Disponível em rolos de diversos comprimentos.Material essencial em emergências, muito utilizado para diversas situações, especialmente para isolamento de áreas que estejam sob algum tipo de risco. A fita zebrada é utilizada pelas equipes de emergência para sinalizar estruturas e locais específicos, como bocas de acesso a galerias de esgoto, áreas externas contaminadas, ou com risco a população. É utilizada também para definir as diferentes zonas de trabalho (zona quente, morna e fria).

  • Lanterna intrinsecamente segura

    Descrição e Uso
    Estas lanternas devem ser idealmente de longo alcance, com fachos de luz variável, ergonômicas e com boa autonomia. Alguns modelos operam com pilhas, outros com baterias recarregáveis. A maioria delas é resistente a água (inclusive imersão), mas a sua principal característica é que são intrinsecamente seguras. Isso significa que quando ligadas, estas lanternas não geram campo elétrico ou faiscamento externo que gere risco de explosão em atmosferas inflamáveis.Em atmosferas com presença de gases ou vapores inflamáveis, onde há risco de explosão ou “flasheamento”. Em emergências envolvendo vazamentos de gás natural, GLP, em inspeções de galerias subterrâneas e espaços confinados em geral. Este equipamento, assim como todos os outros utilizados nestas situações, deve ser garantidamente a prova de geração de fagulhas, centelhas ou campos magnéticos. Deve ser utilizada preventivamente, mesmo quando não se sabe qual o tipo ou as concentrações do produto químico envolvido no acidente.

  • Sinalizador de pista

    Descrição e Uso
    Equipamento de sinalização luminosa de facho intermitente (piscante) normalmente com 60 a 90 pulsos por minuto (luz estrobo ou LED). Os melhores possuem lâmpada halógena com autonomia para mais de 100 horas de uso, são resistentes a impactos e chuva e tem a opção de acionamento via fotocélula. Confeccionados com polímeros de alta resistência e alimentados por pilhas ou baterias recarregáveis.Utilizados para sinalização noturna em acidentes que ocorrem em rodovias ou áreas de trânsito de veículos. Assim como todos os outros equipamentos que apresentam circuitos elétricos e não são intrinsecamente seguros, deve ser usado apenas em condições seguras quanto ao risco de inflamabilidade.

  • Sinalizador pirotécnico

    Descrição e Uso
    Artefatos pirotécnicos cujas características são definidas por normas legais de segurança e eficiência. Podem ser de vários tipos, sempre liberando luz e/ou fumaça com o objetivo de indicar ou posicionar pessoas em perigo. Essencialmente utilizado em salvatagem náutica. Em atendimento emergencial podem ser úteis no resgate de vítimas em localidades de difícil acesso ou durante a noite.Seu uso deve ser feito apenas por pessoal treinado e capacitado, e em situações seguras do ponto de vista de risco, uma vez que se trata de material explosivo e classificado como de alta periculosidade intrínseca. Podem ser utilizados para sinalizar situações de perigo a curta distância, sinalização diurna ou noturna, com luz ou fumaça colorida. Podem ser associados a códigos e sinais de socorro e salvamento.

  • Cavaletes / Placas “Perigo afaste-se”

    Descrição e Uso
    A sinalização adequada dos cenários acidentais é fundamental para manter a segurança das operações. Para isso são utilizados tripés, cavaletes e placas de sinalização. Estes recursos não devem ser utilizados aleatoriamente mas sim de acordo com cada situação específica, respeitando-se as distâncias seguras de isolamento estabelecidas para cada tipo de substância envolvida no acidente. Associa-se aos cavaletes o uso de faixas de isolamento, luzes de sinalização, cones e placas de identificação.